Limits and possibilities for the achievement of integral health care: the Learning Setting in analysis

Main Article Content

Deborah Varjabedian
Camila Sotello Raymundo
Maria Elisabete Guazzelli
Marco Akerman

Abstract

Introduction: The practice of a physical therapist is still pointing to the treatment of disorders functional kinetic in organs and systems of the human body, focusing the attention secondary and tertiary health care. It is to be hoped, however, to achieve in the formation process the profile manifest ideals that guides the principles of comprehensiveness, which emphasizes the importance of primary care. Despite the curricular changes experienced in higher education in Physiotherapy, organized in an integrated manner and supported on interdisciplinarity, it is clear that the concept of comprehensiveness is not reproduced and incorporated in an effective way, since the beginning of the graduation until the moment of traineeship in clinical/school of the University. Objective: This study examined whether the present proposals on the design of the scenario of education were actioned in accordance with the assumptions of integrality of health care. Methods: In an attempt to find answers to such questions, we analyzed the documents directing the education institution — Project of Institutional Development (PDI), Institutional Pedagogical Project (PPI) and the document Center for Integrated Health (CIS) —, so that we can check if such documents allow the proposition of strategies groups of comprehensiveness in health care. Results and Conclusion: These documents demonstrated a synergy with the principles fundamental human, for the human being, with the student and the society as a whole, acting as well, in line with the precepts of completeness. Does not mean, however, that the entire outside used as one of the pillars of these guiding documents

Downloads

Download data is not yet available.

Article Details

How to Cite
Varjabedian, D., Raymundo, C. S., Guazzelli, M. E., & Akerman, M. (2015). Limits and possibilities for the achievement of integral health care: the Learning Setting in analysis. ABCS Health Sciences, 40(3). https://doi.org/10.7322/abcshs.v40i3.797
Section
Original Articles

References

1. Paim JS. Desafios para a saúde coletiva no século XXI. Ed. Edufba. Salvador: Edufba; 2006.

2. Saldanha OMFL. Clínica‑escola: discussão e desafios na educação superior da saúde. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

3. Foucault M. A arqueologia do Saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009.

4. Brasil. Ministério da Saúde. Conferência Nacional de Saúde. Relatório Final da 13ª Conferência Nacional de Saúde: Saúde e qualidade de vida: políticas de estado e desenvolvimento. Brasília: Ministério da Saúde; 2008.

5. Brasil. Ministério da Saúde. Conferência Nacional de Saúde. 11ª Conferência Nacional de Saúde, Brasília 15 a 19 de dezembro de 2000: o Brasil falando como quer ser tratado: efetivando o SUS: acesso, qualidade e humanização na atenção à saúde com controle social: relatório final. Brasilia: Ministério da Saúde; 2002.

6. Universidade Anhembi Morumbi. Plano de Desenvolvimento Institucional 2008‑2012. São Paulo: 2007.

7. Souza MC, Araújo TM, Reis Júnior WM, Souza JN, Vilela ABC, Franco TB. Integralidade na atenção à saúde: um olhar da equipe de saúde da família sobre a fisioterapia. Mundo Saúde. 2012;36(3):452‑60.

8. Mattos RA. Os sentidos da integralidade: algumas reflexões acerca de valores que merecem ser defendidos. In: Pinheiro R, Mattos RA, organizadores. Os sentidos da integralidade na atenção e no cuidado à saúde. 8ed. Rio de Janeiro: ABRASCO; 2009.

9. Brasil. Ministério da Saúde. Conferência Nacional de Saúde. Relatório final da 10ª Conferência Nacional de Saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 1998.

10. Brasil. Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Legislação do SUS / Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Brasília: CONASS; 2003.

11. Ceccim RB, Feurewerker LCM. O quadrilátero da formação para a área da saúde: Ensino, gestão, atenção e controle social. Physis. 2004;14(1):41‑65.

12. Delors J. Educação: um tesouro a descobrir. São Paulo, Cortez; 1998.

13. Hartz ZMA, Contandriopoulos AP. Integralidade da atenção e integração de serviços de saúde: desafios para avaliar a implantação de um “sistema sem muros”. Cad Saúde Pública. 2004;20(suppl.2):S331‑6. http://dx.doi.org/10.1590/S0102‑311X2004000800026

14. Neves D. A integralidade no setor privado da saúde: um olhar acerca de um centro clínico universitário. Monografia (Curso de pós‑graduação) – Universidade Anhembi Morumbi, São Paulo, 2014.